Data do evento:
Quarta, 10 de Outubro de 2001, 10:00

A importância crescente da tecnologia, do conhecimento e da inovação no sistema industrial tem provocado grandes mudanças no padrão de comportamento das empresas e suscitado novas abordagens por parte das políticas públicas. Ao lado das empresas de base tecnológica, convivem sistemas industriais localizados (clusters) e grandes empresas. Eles promovem a sua competitividade por meio de mecanismos de colaboração, enquanto a grande empresa, com capacidades internas muito superiores, vai distribuindo as suas atividades produtivas e funções empresariais mais nobres de forma muito diferenciada. Os efeitos daqueles sistemas são muito localizados, mas o seu desenvolvimento depende de fatores distantes. Quanto à grande empresa, decisões remotas, da matriz, afetam populações, cidades, regiões inteiras. Participar ativamente destes processos, de forma duradoura, exige competência, informação, tecnologia e capacidade de inovação.

As políticas públicas de C&T agregaram agora um I de Inovação. Reconhecem, assim, a importância das demandas econômicas, do mercado. O Sistema de C&T brasileiro formou competências científicas e agora procura transformá-las em oportunidades concretas de desenvolvimento econômico e social, auxiliando no desenvolvimento do sistema econômico, das empresas e dos indivíduos.

Como se comportam os sistemas industriais locais e as grandes empresas em relação à tecnologia e à inovação? Estão sendo capazes de responder aos desafios que a economia aberta impõe? Serão capazes de fazê-lo contando apenas com os seus recursos? O que as políticas públicas podem fazer para fomentar a transição dos sistemas locais e das grandes empresas de uma situação de inovação limitada para este novo quadro? Eis aí as perguntas que motivaram as pesquisas que estão na base deste II Seminário de Economia Industrial.

O II Seminário de Economia Industrial (07, 08 e 09 de agosto de 2001) tem como intuito analisar os vínculos entre as estratégias empresariais e as políticas públicas de C&T, reunindo, para apresentação e debate entre especialistas, as contribuições recentes de um grupo de pesquisadores nestes temas. O evento está estruturado sobre três eixos: (1) Aglomerações Industriais, Política Industrial e Desenvolvimento; (2) Estratégias Empresariais e Condutas Tecnológicas; e (3) Políticas de Ciência e Tecnologia, temas que vêm suscitando interesse e preocupação das políticas nacional e estadual em C&T e em matéria de desenvolvimento industrial.

O Seminário destina-se a apresentar resultados de pesquisas recém-concluídas – Perspectivas de Reestruturação das Políticas de Financiamento do Desenvolvimento Tecnológico no Brasil (convênio Finep/Fundap) e Indicadores de Ciência e Tecnologia (Fapesp) - ou em andamento - Comportamento Tecnológico das Empresas (convênio com a FINEP, numa rede que inclui a colaboração da UFSCar, da FEA/USP/RP e da CEPAL). O Seminário objetiva submeter os resultados destas pesquisas à apreciação de membros da comunidade acadêmica e a outros convidados. Ele explora a interseção que existe na Economia Industrial entre a pesquisa acadêmica e a formulação de estratégias de ação pública, sobretudo as políticas de Ciência & Tecnologia, Industrial, de Competitividade e Comércio Exterior.

O GEEIN vem dedicando esforços sistemáticos no trabalho de Iniciação Científica (IC). Este trabalho encontrará uma expressão acadêmica numa iniciativa inovadora que será desenvolvida neste seminário: a apresentação dos resultados de pesquisa destes bolsistas ao lado dos de colegas de outras instituições envolvidas com a Economia Industrial. O Seminário contará com sessões para apresentação de bolsistas do Departamento de Economia/Unesp e ligados ao GEEIN e de outras instituições.