Membros

Foto do membro Orlando Martinelli Júnior

Orlando Martinelli Júnior | Logotipo Lattes

orlando.martinelli@gmail.com

Instituição: UFSM
Curso: Professor - Doutor em Ciência Econômica
Início do curso: 2004
Entrada no GEEIN: -

Perfil

Possui graduação em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Campinas (1981), mestrado em Economia pela Universidade de São Paulo (1987) e doutorado em Ciências Econômicas pela Universidade Estadual de Campinas (1997). Atualmente é professor do Departamento de Economia e do Programa de Pós Graduação em Economia do Desenvolvimento da Universidade Federal de Santa Maria. Seus trabalhos de pesquisa estão inseridos na área de Economia, com ênfase em Microeconomia Heterodoxa, Economia Industrial e da Tecnologia. Linhas de pesquisa: economia da tecnologia e da inovação; estratégias e políticas industriais e tecnológicas; estudos setoriais. É editor-associado da Revista Brasileira de Inovação.

Projetos de pesquisa

2015 - Atual

A inserção brasileira em Cadeias Globais de Valor: uma análise empírica de especialização vertical para complexos industriais brasileiros
Descrição: Esse projeto tem por objetivo quantificar a especialização vertical brasileira em cadeias globais de valor e verificar o grau de especialização vertical dos principais complexos industriais, em cortes de três períodos no tempo, 2000, 2005 e 2009. Os complexos objetivados são: o eletroeletrônico, metal mecânico, químico e agroindustrial. Metodologia Adota-se o trabalho de Hummels et al (2001), foram um dos pioneiros a desenvolver um índice para avaliar empiricamente o grau de integração produtiva de um país no comércio internacional. A medida de Especialização vertical (EV) proposta pelos autores quantifica o valor dos insumos importados incorporados nos bens exportados. O índice é calculado a partir da matriz insumo produtos dos países, que fornecem dados em nível agregado e desagregado por setor de insumos importados, produção bruta e exportações..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Integrantes: Orlando Martinelli Júnior - Coordenador / Adriano José Pereira - Integrante / Paulo Ricardo Feistel - Integrante / Juliane Regia Rörig - Integrante / Dienifer Shujinko - Integrante.


2013 - Atual

A importância das dimensões cognitiva e institucional na tomada de decisão econômica dos indivíduos
Descrição: O objetivo geral da pesquisa é caracterizar e discutir a dimensão cognitiva e a dimensão institucional envolvidas no processo de tomada de decisão dos indivíduos, especialmente em suas decisões econômicas. O ponto de partida é a crítica à teoria econômica tradicional, que identifica o comportamento como utilitarista e maximizador, é pouco estruturada, pois considera indivíduos com preferências fixas e necessidades que refletem apenas o interesse e o bem-estar próprio. Alternativamente, incorporando teorias heterodoxas, procura-se analisar: i) os elementos da economia comportamental, que envolvem a cognição humana e influenciam no processo de tomada de decisão; ii) as principais contribuições da economia institucional relacionada ao comportamento dos indivíduos; iii) a dimensão cognitiva e institucional no caso específico da tomada de decisão dos consumidores..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Integrantes: Orlando Martinelli Júnior - Coordenador / Solange Regina Marin - Integrante / Aline Zulian - Integrante / Gabriela Frizon Zanella - Integrante.
Número de orientações: 2


2013 - Atual

Interação Universidade-Empresa e Capacidade de Absorção de Firmas no Brasil
Descrição: O principal objetivo da pesquisa aqui proposta é compreender a relação entre a interação de empresas com universidades e a capacidade de absorção das firmas para a obtenção de resultados positivos da interação. A compreensão a respeito do estabelecimento de interação das firmas com universidades exige a análise de diferentes elementos influenciadores neste processo, tais como: proximidade geográfica e relacional entre firmas e universidade, existência de uma base de conhecimento científico vinculada às necessidades das atividades produtivas das regiões, capacidade absortiva das firmas, entre outros aspectos. Nesse sentido, a pesquisa pretende aprofundar a compreensão a respeito da relação entre a capacidade de absorção das firmas e o estabelecimento da interação universidade-empresa. A busca pela firma por conhecimento externo para oportunizá-la a geração de inovações é cada vez mais necessária devido ao elevado grau de especificidade no desenvolvimento do conhecimento científico e tecnológico na contemporaneidade. Entretanto, para buscar e aplicar esse conhecimento é necessário que a firma tenha uma capacidade específica denominada de capacidade de absorção. Por mais que haja capacidade de geração de conhecimento científico e tecnológico em diferentes áreas de conhecimento nas universidades brasileiras que respondam às necessidades do setor produtivo, para que a interação entre a universidade e a empresa ocorra é necessário mais do que isso, é preciso que as firmas tenham capacidade de absorver esses conhecimentos. Capacidade de absorção é um conceito que pode ser compreendido pela capacidade da firma de adquirir, assimilar, transformar e explorar o conhecimento de fontes externas a ela..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Integrantes: Orlando Martinelli Júnior - Integrante / Júlio Eduardo Rohenkohl - Integrante / Renato de Castro Garcia - Integrante / Wilson Suzigan - Integrante / Janaina Ruffoni - Coordenador / Andréia da Rosa - Integrante / Daniel Pedro Puffal - Integrante / Eduardo da Motta Albuquerque - Integrante.
Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.